sexta-feira, janeiro 19, 2007


deixo cair as mãos. os braços.
os olhos.

na memória um acorde de Chopin.
na morte um silêncio. longo.



!

24 comentários:

Mendes Ferreira disse...

triste e belo.


o texto. a fotografia. de um lugar perto. que tb é longe.


conheço os dois. o silêncio e a lonjura.
a morte. no meio a vida. em acordes de saudade.


_______________

beijo. aos dois.

maria josé quintela disse...

memória de inverno em ti.
longo como um fim.
com fim.


beijo.

vida de vidro disse...

Levanta um dedo. E outro. A mão. O braço... **

Pedro Branco disse...

Mais uma vez procurei. Procurei o silêncio. Mas não o da morte... Esse percorre-nos o corpo na vida. Procurei os acordes das nossas dores e sonhos; as fogueiras que ardem sem cessar por entre os poros do nosso corpo; à espera dos vermelhos e amarelos e azuis e verdes e todas as cores que só o fogo consegue quando existimos. Deixei que tudo se fosse mantendo caído. Porque só assim haverá oportunidade pare se erguerem de novo!

Já percebeste, que me aqueço nas tuas palavras. Que me pinto nas viagens para onde me transportam. Que junto a minha voz às delas para o que der e vier.

Um beijo. Bom.

Abssinto disse...

O desalento pode ser tão fresco e on que é mais, apaziguador. Estranho.

beijo

intruso disse...

(há silêncios que se procuram...
há outros que nos encontram,
que nos fazem deixar cair as mãos, os braços, os olhos_ silêncios que caem...)

imagem triste.

intruso disse...

[não estás bem,,, sinto.
preocupado eu...]

(há ausências assim, longas...
silêncio que dói)

beijo

Bandida disse...

adoro-te, João C....


dói, mói...

Nan disse...

...na vida um silêncio maior.



...pára. repousa nele. espera que se vá.


ou ama-o.


__________

beijos

Arion disse...

É dos sítios onde mais dói que se espremem os silêncios mais longos. Beijinho!

PS: O álbum do Wim Mertens é fabuloso!

pn disse...

Pungente. Ergue-te. Ilumina-te com o rio paiva!
Arreda-te hoje de Chopin. Não é dia, rouquido ai!

mnemosyne disse...

A memória...que como um vento torneando nos desnuda por dentro...
Silêncios que ardem nos olhos e molham a pele...
Deixo-te um beijo e um sorriso

Entre os teus lábios disse...

Não deixes cair... os olhos, não!

As memórias perduram...

Um sorriso.

Bom fim-de-semana.

Diva disse...

Bandida,
assim me sinto eu...

:(

Lantejoula para si

as velas ardem ate ao fim disse...

Lindo e triste.

Como são as memorias como é a morte.

B, que a tristeza passe a uma leve brisa...

(a foto é linda..apetece ir ate lá e pensar)

bjinho

maria josé quintela disse...

" Perguntas-lhe se ela pensa que alguém pode amar-te.
Ela diz que ninguém pode em caso algum.
Perguntas-lhe: Por causa da morte? Ela diz: Sim,por causa dessa insipidez, dessa imobilidade do seu sentimento, por causa dessa mentira de dizer que o mar é negro.
E depois cala-se."

Marguerite Duras



a morte é apenas uma estação...
e o mar é azul.

beijo.B.

hfm disse...

vejo longo, não a morte, mas o infinito da imagem e das palavras.

Quanto ao SIM temos de nos esforçar pois o silêncio começa a envolver o medo.

Frioleiras disse...

Chopin ...
na tristeja, afunda a tristeza ...

talvez Albinoni ... a sua doce melancolia acompanha a nossa melancolia ... não a afunda ...

Chopin é lindo mas é preciso não lhe entregar a alma quando ... está encharcada !

Um cd bonito ... que me chegou às mãos:

Totus Amore (Alex. Scarlatti) com o contratenor Ryland ANgel e Les Folies Françoises ...

LA disse...

Obrigada, Bandida. Um beijo longo de pura ternura. (Nao sei se é o segundo, se for, mereces!)

merdinhas disse...

...

antes do longo silêncio vivem-nos as memórias.

alecerosana disse...

há silêncios que nos invadem a memória, as memórias...
(peço desculpa pela invasão...)

isabel victor disse...

Triste ...
________________

contaminação ?
____________________ triste ...

Ai, as perdas que todos temos em nós ...

Bandida, este teu sítio é mesmo especial ...

Isabel disse...

Longo é o silêncio da ausência

Do que esteve e já não está

morre nun silêncioso acorde

deixa de recordação outro...Chopin

tristemente belo ______________

saudade____________a saudade não doi: moi intensa, profunda e finamente

é fina e aguçada a ponta da saudade

Ergue tudo
devagar
mãos
braços
olhos

Ou então sossega
descansa
dorme
levitando
sobre as memórias e a saudade
enbalada pelo som do silêncio

Vá sorri__________________________

Vê como até os lagos da saudade se embelezaram para ti_____________

Até já

Isabel

Mar da Lua disse...

...e no silêncio, ainda que longo, se encontram as notas dos acordes da vida!


Um Beijo