quinta-feira, março 01, 2007





o som o caminho a mão não na mão talvez as mãos
se forem capazes de inverter o conteúdo da maré
directamente proporcional à lua o uivo e nada mais
existente no vinho contido contigo num fio de luz

meu amor






___________________

Dead Can Dance, Yulunga
_______________________________

20 comentários:

aldina disse...

Um fio de luz é, para mim, um dado quase científico da consistência da poesia!

Até sempre

paula e rui lima disse...

olá!

se gostas de cinema vem visitar-nos em

www.paixoesedesejos.blogspot.com

todos os dias falamos de um filme diferente

paula e rui lima

Anónimo disse...

... é bom voar com as tuas asas...

KissK

inominável disse...

indeciso-me entre a beleza do escrito , das imagens e do cantado...

e como é lindo haver sempre espaço para um final "meu amor"!

isabel victor disse...

Avassala(dor)!

Encantatório ...

som e
palavras

tudo música ...

b **************************

Anónimo disse...

Correio para "Arte da Fuga"

Cuidado! Salazar fez da escola um instrumento de fixação das populações à terra, pois viveram-se tempos onde gradualmente não foi possível impedir a emigração que grassava de norte a sul. A indústria nunca, pois tinha dela uma imagem extremamente negativa. não se pode extrapolar, como vem nas entrelinhas que pelo facto de termos um Ministério da Educação autoritário, ministra e acólitos, se poderá regressar a esses tempos. Os sujeitos são outros. Leia-se o único livro interessante de Maria Filomena Mónica "Portugal no Salazarismo" que ela escreveu quando ainda não tinha caducado de vez. Está lá tudo dito, se dito podemos dizer das análises históricas e sociológicas que se vão fazendo. Maria Velho da Costa também estudou o fenómeno. Por que será que andamos sempre com Salazar na língua? Será uma peçonha de séculos de que nunca nos libertaremos?
Com os meus cumprimentos
Parabéns ao blogue, acabo de descobri-lo.
PS - Desculpe este acto de banditismo. Reencaminhe, pode?

merdinhas disse...

http://www.youtube.com/watch?v=LtNFQ7RJbaQ


porque "the carnival is over".

sinais disse...

Perante tal beleza ocorreu-me, relembrar outra beleza, e o "impoosible is nothing" no amor:

On a vu souvent rejaillir le feu
D'un ancien volcan qu'on croyat trop vieux
Il est parait-il des terres brulées

Donnant plus de blé qu'un meilleur avril

MRF disse...

belo________________________________ já sabes. vontade de seguir nessa maré. sem resistência.

teresamaremar disse...

as mãos dizendo, contando

as mãos e o que com elas fazemos

as mãos e o que fazemos quando não sabemos o que fazer com elas



"contido contigo"....


e a delicadeza de um fio de luz



lindissimo!

beijo grande

as velas ardem ate ao fim disse...

Gosto de dead can dance, gosto de lobos, da lua e de uivos.resumindo gosto de ti.

bjinhos

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Passei para te ler e deixar votos de um bom fim de semana.
Beijinhos

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Passei para te ler e deixar votos de um bom fim de semana.
Beijinhos

alice disse...

também está nos meus favoritos, este. dançamos juntas? desculpe a ousadia. mas é tudo tão bom aqui. querida bandida. querida querida. um beijinho tão tão grande. bom fim de semana. a dançar com lobos!

isabel mendes ferreira disse...

voltei....




beijosssssssssssssss.

ASTI disse...

foi bom ter passado por cá. beijo. te.

Nan disse...

dead can dance

meu amor

ouve

a beleza dos rituais da morte e do amor...

P'titeFemmePigalle disse...

...et les yeux dans les yeux et la main dans la main
ils s'en vont amoureux sans peur du lendemain
oui mais moi, je vais seule par les rues, l'âme en peine
oui mais moi, je vais seule, car personne ne m'aime.
Bisou Bisou

alice disse...

obrigada, bandida. dificulta-me muito a tarefa da gratidão plena. porque quero saber que palavras. e não sei. agradeço muito. do fundo do meu coração. que chora. por sua causa. e também pela isa. lindas meninas. estou feliz. obrigada... *

herético disse...

inebriante. esse vinho...