terça-feira, abril 10, 2007









a música sob a essência da língua. nenhum véu antigo no absoluto.
nenhum absoluto.

pelo atalho te espreito. as pernas lisas no significado
de ti. fêmea de asas postas.

ave.
gira longa a sombra da tua boca.
a pele nua. a tua humidade marginal.

estende as mãos no caminho
do meu silêncio.

apaga a luz do teu som
na enseada dos teus lábios.


___________________________

Bjork, Pagan Poetry
_______________________________

23 comentários:

MTC disse...

;-)

Apagados os sons, ainda ficam os ecos... e para esses não há interruptor nem borracha.
A curiosidade que nos empurra para a cegueira, no buraco da fechadura, nas azinhagas, nas sombras da lua... é que matou o gato.
E das sombras sei eu...
Tu nao te aborreças, miúda!
Bons sonhos

MRF disse...

ouvi vezes sem conta esta canção. inventei uma história. que não é a que nos contam neste vídeo. só os gritos com cabelos à mistura coincidem.

;)
bj

alice disse...

bom dia, poesia. pouco ou nada ou muito pagã. o que importa é estar aqui. um grande beijinho, bandida. entenda que quando se gosta muito. fica-se sem ter o que dizer... um abraço. obrigada.

Ana Paula disse...

Muito interessante, Bandida! Bjork é música especial. Há ali umas coisas no video clip que me fazem uma certa impressão, confesso.
Achei a foto muito bonita. :)
Bjs da Ana.

teresamaremar disse...

Ainda que os véus existam, não apenas escondem, permitem ver

não tornam opaco, criam o translucido, outra forma de ver,
sem absolutos
forma aberta ao significado, outros
entre sombras,
marginalidades,
silêncios,
luzes e sons que se desligam, se omitem

em enseadas,
porque estas se debruçam ao horizonte


beijo de bom dia

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Beijokas........

      ¨`*• (¨`•.•´¨) ♡ .•*´
      ¨`*• .`•.¸(¨`•.•´¨) ♡ .•*´
      ¨`*• ♡ × `•.¸.•´  

isabel mendes ferreira disse...

Uma verdadeira corrida contra o tempo é o que propõe "4:40",
uma competição de curtas-metragens criada pela Associação de
Estudantes da Escola das Artes da Univ. Cat. Portuguesa, cuja
primeira edição acontecerá no âmbito do 4º Festival Audiovisual
Black&White, a decorrer no Porto de 19 a 21 de Abril de 2007.



Escrever, produzir, filmar e editar um vídeo até um máximo de
4 minutos, em apenas 40 horas!
Vamos lá pegar nas câmeras!
Vamos lá aceitar tão inusitado desafio!
Vamos lá fazer fitas!

As inscrições são livres, mas o tema não.
O tema será dado a cada equipa aquando a inscrição e será
divulgado apenas às 10 horas do dia 19 de Abril.
As equipas concorrentes deverão ter os filmes concluídos,
conforme o tema, até às 02 horas do dia 21 de Abril.
A escolha, a divulgação dos vencedores e a exibição pública dos
filmes decorrerão durante o mesmo dia 21.
Para além de um Grande Prémio existem ainda as categorias
de Melhor Edição, Melhor Argumento e Melhor Fotografia.
Mais informações sobre o regulamento aqui:
http://www.artes.ucp.pt/B&W/440/4_40siteFinal.swf
posted by francisco carvalho ___________________porque não concorres???

tens talento para isso e mt mais.

passa pelo nusingular.blogspot.com_________________bom dia.

beijos.

isabel mendes ferreira disse...

voltei para dizer o evidente:


belíssimo post.


nostálgico.


mas pleno de vida.pese embora as aparências.


tem um grande dia.

hfm disse...

do silêncio preenchido dos ecos.

inominável disse...

e falar dos vergões nas pernas lisas? e falar das asas quebradas? e falar dos lábios resequidos pela salinidade dos olhos?

voltarei... não é uma ameaça, é uma desgraça...

Gi disse...

As palavras secam na boca mas continuam a sua linguagem muda no coração. E acredito na voz do silêncio, chega onde queremos que ela chegue. Basta que estejamos atentos para a ouvir .

Um beijinho Bandida (vou ver se tenho um tempinho para colocar o teu link, gosto de vir aqui)

o alquimista disse...

Na sublime sensualidade das tuas palavras me perdi...


Doce beijo

isabel mendes ferreira disse...

ih ih ih...alguém te desejou através de mim uma noite "vadia" com poesia....:))))

___________________


beijo.


(v.exa.tá melhor?)

herético disse...

depois da luz apagada, pressente-se a música (sob a essência da lingua) abrindo-se em explendor de "fêmea de asas postas"...

glorioso poema!

as velas ardem ate ao fim disse...

Musica..silêncio...
ternura...nostalgia..

1 bjo

A. disse...

"Hyper Ballad"



we live on a mountain
right at the top
there's a beautiful view
from the top of the mountain
every morning i walk towards the edge
and throw little things off
like:
car-parts, bottles and cutlery
or whatever i find lying around

it's become a habit
a way
to start the day

i go through this
before you wake up
so i can feel happier
to be safe up here with you

it's real early morning
no-one is awake
i'm back at my cliff
still throwing things off
i listen to the sounds they make
on their way down
i follow with my eyes 'til they crash
imagine what my body would sound like
slamming against those rocks

and when it lands
will my eyes
be closed or open?

i'll go through all this
before you wake up
so i can feel happier
to be safe up here with you



Bjork______________________________
__________________________________
____________________________
_______________________
__________________
_______________

"HYper ballad"

"Vivemos numa montanha, mesmo no cimo, a vista é maravilhosa no cimo da montanha... Todas as manhãs eu caminho para o precipício e atiro pequenas coisas tipo: partes do carro, garrafas e talheres ou o que encontro por aí...

Tornou-se um hábito, uma forma de começar o dia.
Passo por isto antes de acordares para me sentir mais feliz por estar segura aqui contigo.

É mesmo muito cedo, de manhã, estão todos a dormir. Estou de volta ao meu penhasco, a atirar coisas. Escuto o som que fazem enquanto caem, sigo com os meus olhos até se estatelarem.
Imagino o som que o meu corpo faria esmagando-se contra essas rochas... E quando ele "aterra" os meus olhos estarão fechados ou abertos?

Passarei por tudo isto antes de acordares para me sentir mais feliz por estar segura aqui contigo"



Ser uma mulher...
_______________________________
_________________________
_____________________

(...um post do Varanda que me tocou muito.deixo para ti B.)



beijo.

Pedro Branco disse...

Perdido. Deitado ao abandono. Apenas de olhar distante. Dentro. Por dentro. Sem mais nada.

Beijo, B.

Estranha pessoa esta disse...

.... aconchego arritmado!

Opintas/Bernardo disse...

Bom dia e um abraço.

M5Sol disse...

As minhas mãos estão sempre estendidas no caminho de quem as cruza e encontra quando delas necessita.
Estendam as mãos.
É um gesto de magnanimidade.

alice disse...

beijinho grande, bandida. mando um também para a isa. que tem feito posts de fazer tremer betão. mas não deixa comentar... que saudades!

beijinhos a ambas. muitos (****)

Letras de Babel disse...

Pedalling through
The dark currents
I find
An accurate copy
A blueprint
Of the pleasure
In me

Swirling black lilies totally ripe
A secret code carved______________


________________o código secreto
________________que está em nós
________________(dor, prazer)
________________a descodificar
________________pelo golpe que
________________(perfurante)
________________é sempre o último.



beijo

merdinhas disse...

Pedalling through
The dark currents
I find
An accurate copy
A blueprint
Of the pleasure
In me

Swirling black lilies totally ripe
A secret code carved
Swirling black lilies totally ripe
A secret code carved

He offers
A handshake
Crooked
Five fingers
They form a pattern
Yet to be matched

On the surface simplicity
But the darkest pit in me
It's pagan poetry
Pagan poetry

Morsecoding signals (signals)
They pulsate (wake me up) and wake me up
(pulsate) from my hibernating

On the surface simplicity
Swirling black lilies totally ripe
But the darkest pit in me
It's pagan poetry
Swirling black lilies totally ripe
Pagan poetry

Swirling black lilies totally ripe

I love him, I love him
I love him, I love him
I love him, I love him
I love him, I love him
She loves him, she loves him

This time
She loves him, she loves him
I'm gonna keep it to myself
She loves him, she loves him
She loves him, she loves him
This time
I'm gonna keep me all to myself
She loves him, she loves him
And he makes me want to hurt myself again
She loves him, she loves him
She loves him, she loves him
And he makes me want to hurt myself again