domingo, maio 13, 2007


alarga as mãos no afago da tarde

_____________________________

"Ninguém ignora que a poesia é uma solidão espantosa, uma maldição de nascença, uma doença da alma."

Jean Cocteau

__________________

17 comentários:

triliti star disse...

a canção é lina e também as imagens.
mas a poesia é uma espantosa companhia.

Ana Rita disse...

Que definição tão verdadeira!

S. disse...

...l'ombre de mes amours anciennes....

uma boa semana
Bj

António Pires disse...

...Barbara (a Voz)... E estas palavras de Cocteau... A Poesia é isto!!

Ana Paula disse...

Por vezes, é impossível viver a não ser poeticamente... :)
Beijinhos e bom início de semana.

A. disse...

[Quand,à minuit,Tu me coucheras
Sur un lit aux draps défaits, Sans vraiment aucun souci
Pour ma robe rouge d'amante, Sans aucun souci vraiment.]


http://ask-im.blogspot.com/2006/11/f-lempicka.html





...oui, je serai.
:)

alice disse...

minha querida bandida, eis aqui a melhor surpresa de segunda feira e a melhor maneira de começar o dia e a semana ;) (só vi agora). ainda bem que gostou da citação ao ponto de aqui a colocar ;) obrigada pelo link. um grande beijinho. abraço!

D. Maria e o Coelhinho disse...

O coelhinho já sabe ler...
E até comprou óculos para ver lehor !

assim vadia mt mais pelos outros blogs e não fica em casa com a D. Maria !
Ainda se apaixona com a poesia que vê por tanto lados !


D. MARIA

as velas ardem ate ao fim disse...

Que magnifica doença.


bjos B

Gi disse...

De vez em quando gostava de ser atacada por esse doença :). Esta composição de palavras imagens e voz está magnífica. Um beijinho

mitro disse...

Ou um veneno!

marta disse...

Barbara sempre foi uma das minhas divas.

herético disse...

alagar as mãos ao afago da tarde é oposto de solidão: é partilha!

... e no entanto é tão verdade que a poesia é "uma solidão espantosa"...

Lis disse...

Mas é uma solidão que se partilha.



Xis

M disse...

há tanto tempo que não ouvia a Barbara! E o que eu gostava dela!
Beijinhos. Boa semana.

Abssinto disse...

A poesia se tivesse uma língua oficial, seria o francês, sem dúvida. Cantada assim, é tudo.

beijo, lupina.

isabel victor disse...

Tanto
Tanto ...

*
isabel