quarta-feira, abril 29, 2009







um peixe transformou-se em pó.

[o jogo era uma visão da verticalidade do aquário]

na mesa o peixe mordeu
a vela num anzol
desastradamente mole.

[acabam os cigarros e invado-me de fósforos]

é preciso ritmo para desmontar o princípio da impressão
dos símbolos, disse o peixe.

[hei-de dizer que compro sopa em episódios inúteis]

o fumo desliza pelo nariz
e desenho escamas no escuro.

o escuro favorece a pele, disse o peixe.

a sopa come-se em dois tragos.

[trago-te depois o guardanapo]

o peixe fugiu e provocou a
ira da linha.
a linha disparou dois tiros
num carapau surrealista.

o assassino anda a monte.






/div>



(este post só é válido lido com esta música de fundo. convém ouvir toda a música para que a emoção seja maior. ponto.)





.

14 comentários:

pinky disse...

ela é caracois
ela é carapaus
hum..........
que pensar?
que concluir?
Estás a precisar de uma patuscada tás! ;)

Frioleiras disse...

o descanso ... do guerreiro......................

pn disse...

tal ânimo dos animismos...!

recorrentes, as escamas.
não deixam ver o céu?
qual céu?

olhos que não vêm são olhos de boneca de porcelana (ainda há?).
não prestam ou não estão prestes para a função (edipiano punhal ou oftálmico laser?)

temível, a invasão de fósforo, também lúcifer, o que traz a luz, talvez aurora.
a que só não cega ao cego.

Senhora Dona Banida, anda, pois, boazinha, ou só fora-da-lei?
Críptica, quand-même!
il nous faut muito ritmo... arritmia, até.

Je vous salue, Marie.

intruso disse...

bang bang!

(carapau ao fundo)

[a monte andamos todos...]


:S


besos!

Vasco disse...

O Elvis a comer sopa de peixe antes de uma segunda dose de charrinhos alimados é uma miragem e pêssegos ;) Beijo!

tolilo disse...

a melodia de fundo...............foi a responsável pela decisão da minha tia Ligia, jovem adolescente de então... decidir não ir para "Históricas" e seguir "Filologia Germãnica"... para gaúdio dos seus pais ...

queria aprender alemão e inglês e perceber TODO o Elvis! Imagina!


Chuac!

Haddock disse...

e a pia da cozinha verteu enguias
em espectáculo de caldeirada

[a comoção confusa do êxodo]

da estupidez semiótica
própria do imprevisto

[o aquário agita-se em puré de brócolos]

na mesa pulam pés assassinos
em armistício

[exército larvar em aterradora esquizofrenia]

epidermes rasgadas
ligadas a guardanapo

[improvisação de enfermaria.
manda o carapau. e fuma.]

noite:
organizam-se em pelotão

[o escuro favorece a pele]

depois da sopa exígua
comanda o fósforo

[luz é luz]

na viscosidade da existência confia-se
e conclui-se a inutilidade dos episódios

[os mais espertos descobrem-se burros]

procissão em metamorfose
de cortejo fúnebre

o assassino anda a monte.

[o assassino é o rei da pedra]

Isabel disse...

never!




.


:)

o assassino é o rei da pedra?


bravo Capitão . a entrar no reino da fantasia surreal.
quem diria?

festejo-O.
e a ti Pin..................claro que sim.


clarão de pele a ser músculo para derrubar consciências.


beijo-te.

Isabel disse...

oh Pin....
os espelhos arranham....tanto...:)

_______________



mas sabemos que são tb curandeiros. não é?


sorrio-Te.


e "biba o primeiro de cada maio)...

plim.

em movimento de flick flack...para a frente...:)

Mar Arável disse...

Com esta música de fundo

as tuas palavras

fazem-me esquecer

o carapau de corrida

Na verdade isto é na verdade

pois na verdade

que viva Maio

também contigo

Bjs

isabel victor disse...

senhora dos milagres, diz-me o que se passa com as músicas ?
Somem-se em 30 segundos ...

((:

?

b* iv

casa de passe disse...

um 1º de Maio sem violência e tranquilo,

now or never.....



Um beijo da

NINI

PAULO MIRANDA (A Folha) disse...

Primeiro: Ele era o Rei
Segundo: O texto... Surreal!!!

isabel mendes ferreira disse...

"pinzinha"....

amaio-te cheia de abraços.



um tb para o "nosso" Capitão que desconstroi tão bem a poesia.