domingo, fevereiro 28, 2010




a importância do futuro é a de me mostrar um passado que não conheço.

--------------



8 comentários:

hfm disse...

e o teu presente é sp o fio condutor!

alice disse...

beijinho, beijinho, beijinho*

Haddock disse...

... desde os tempos (i)memoriais do condado portucalense??

maravilha!! verdadeiramente proustiano!! spielberguiano até!!


não percebemos lá muito bem é a necessidade de pestanas novas nessa viagem no tempo... a menos que te vás enfiar na torre do tombo!!

pn disse...

AMIGA:
O futuro não terá importância nenhuma se não nos importarmos com um presente que, de tão assustadoramente decadente e parco de valores (de todos os tipos), arrisca à sua inexistência enquanto civilização digna desse nome.
Sugiro leitura de Hermann Bröch e "Os Sonâmbulos".
Abracinho.

Anónimo disse...

Por acaso acho o contrário: a meu ver, o problema dos dias de hoje não está no facto de os valores serem parcos mas na sua diversidade, por um lado e, por outro, na incapacidade de cada um/uma de nós conviver pacificamente com os valores de cada outro/a, julgando que apenas os seus são defensáveis.
É o que Friedrich Nietzsche designou como «moralina», designação retomada por Morin...
O veneno dos dias é a maldita moralina...

digo eu, que sou a tal, um pouco tonta, coiso e tal

Anónimo disse...

ops, esqueci-me de que não era a isso que eu vinha.
Absolutamente de acordo, Bandida. Por isso me agrada tanto o presente que, finalemente, me revela o passado que eu não fora capaz de conhecer, enquanto era presente.
beijos da eu, a tal, um pouco tonta, coiso e tal

heretico disse...

excelente.

carpe diem...

beijos

Frioleiras disse...

bjs bandida............
e
Um grd abraço neste Dia da Mulher...................................