domingo, março 25, 2007





não explico. não quero explicar.
dobro-me sobre o segredo.
as palmas das mãos abertas na horizontalidade
do pulso.

as ancas e a nuca. dormem
no esplendor da boca.

as palavras cegaram
o poeta.


________________________________


.

(imagem de Rui Effe)
_________________________________

.

22 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

e não há nada para explicar.


mesmo nada. nem a cegueira. nem os poetas.

nem as visões. nem as invenções.
nem os percursos.
nada.

ficou apenas o muro.


.


belíssimas as ilustrações.as inscrições.

.

vertical só mesmo o fim. e ainda bem.
.


belo post Bandida.

valter hugo mãe disse...

ó bandida, a imagem do rui effe não lhe está atribuída e está achatada....
beijinho.
olá.
vou por-te nas minhas ligações. o rui é um amigo, é possível que passe por cá. se não pões o nome dele dá-te uma trinca.
acho eu, não sei

Abssinto disse...

À mesa dum café, a cigarrar frente a um livro e copos vazios?

".....espero pela vida que nunca vem ter comigo!"

beijo, lupina fumarenta

intruso disse...

o silêncio gravado no muro
(dentro)


beijo

Ana Paula disse...

Um belo graffiti! Aprecio...
Beijinhos, Bandida.
Da A.P.

Pedro Branco disse...

Explosão. É verdade: http://daspalavrasquenosunem.blogspot.com/2007/03/expl0so.html

Beijo.

isabel victor disse...

Nem tudo se explica.

Nem tudo tem que ser explicado.

Bandida musical
não tem explicação ...

beijos e beijos *****

A propósito, acabo de ouvir anunciar a final de um tal concurso chamado " Grandes portugueses ". É mesmo uma coisa sem explicação !

Salvem-se os poetas !!!!!

un dress disse...

horizontalmente

a poeira cinzenta das cidades

essa-sim


que atrofia

cega

e desliga


a poesia da vida...


beijo 2

Letras de Babel disse...

não explico. tenho medo de me ouvir.

dobro-me sobre o segredo. tenho medo de o descobrir.

...e, se durmo, tenho medo de acordar.
e, se escrevo, tenho medo de cegar.

________________

o arco-iris, nos muros que nos cercam, tem quantas cores?

_________________

beijos
(sem medo)

M disse...

bandida, de regresso ao bom convívio, fico feliz por verificar que o nível se mantém... pelo teu blog, claro, porque no resto, faço minhas as sensatas palavras da isabel vctor. "salvem-se os poetas", enquanto é tempo. Belos posts. Obrigada. Beijos

blue disse...

chegar aqui é uma boa forma de olhar em volta e perceber tudo o mais que os 59% que não votaram no salazar poderão representar.
obrigada.

Frioleiras disse...

linda ...
a imagem !
linda !

Clara Hall disse...

Isso mesmo B. Não expliques. explicar para quê o que bem se escreve e tão bem se lê?

:)Beijinho

aldina disse...

As explicações são um direito ou um dever? Não gosto que mas peço, sendo que gosto de dá-las voluntariamente...

Até sempre

Plum disse...

Dispensam-se explicações*

Arion disse...

A própria poesia é cegueira em busca de visão...

Lis disse...

A poeira das cidades ... desaparecendo, aos poucos.é preciso a palavra e a acção.

Isabel disse...

Hoje cheguei aqui com saudade de te ler.
Vim depois de ter descoberto um poeta...
Vim por isso feliz.
Quando descobri esse poeta encontrei um comentário teu que me trouxe aqui.
Ainda bem.
As palavras cegaram o poeta.
Uma das palavras é arco iris
No caminho para aqui vinha a pensar que quando via um arco iris procurava um poeta em vez de um pote de ouro

Por a poesia e não o poeta me ser mais precioso.

Não quero nem preciso das explicações.

Descobri um poeta.
Li um poeta que redescubro sempre que leio: tu
Um poeta no inicio e outro no fim do arco iris
Um tesouro.
Um dos poetas cegou
mas escreve
e a sua poesia vê, mostra e alcança_____________________

Isabel

A Rapariga disse...

É o vento à rédea solta, saltando aqui e acolá,
abraçando esta casa em que me abrigo,
apanhando um pio de ave...que eu ouvi
e falando comigo.
E a sonolência em que me encontro
causa-me srobessaltos, já não sei se é vento
ou consciência.
E os clamores são mais altos,
E agora a visão apocalíptica, que me lança no espaço
e confusão.
Mas já desperto alagada em suores e sinto...
os sonhos vivos, bem piores.
E o vento continua,
repuchando os pinheiros,
varrendo a rua.

merdinhas disse...

não expliques.

nós sabemos.

as velas ardem ate ao fim disse...

Nada a dizer..palavras para quê??!!

bjinhos

alice disse...

estou aqui, bandida. muito tímida. não sei bem o que dizer. chegou à minha vida uma amiga linda. muito obrigada por tudo. prometo voltar mais inspirada amanhã. se me fizer um grande favor. mande um beijinho especial. à menina que gosta muito de anéis... beijinho muito grande.