sábado, maio 05, 2007



toca-me a palavra

na boca


nos olhos

a ponta da língua

aponta-me.

______________________________

18 comentários:

triliti star disse...

às quatro e meia da tarde,
em plena digestão.
(todas as horas são boas para não estar só,
para amar).

hfm disse...

Gostei. Muito.

S. disse...

nem estou a acreditar que ainda lá não voltaste para brincar às histórias connosco... uma mulher de tantas palavras...

bjs

PintoRibeiro disse...

Passei, gostei.
Boa noite.

Francieli Rebelatto disse...

E como ela tem esse poder, fascinante de nos tocar de tal forma, que por ela deixamo-nos dominar...

beijos e cuide-se!!!

blackangel disse...

a ponta, que coisa tão estranha.

donde

vem

isto

...

esta

música

este

doce
olhar

...
é
o
amor.

o anjo

Ana Paula disse...

Olá, Bandida! Fizeste-me pensar noutras formas de linguagem... :)

Tertúlia pela tarde... conto estar. :)
Beijinhos e até lá e cá...

isabel mendes ferreira disse...

um beijo. pela pintura. soberba.


na ponta de um dia de açucenas...



bom dia!!!!!!!!!!

musqueteira disse...

viva bandida... tocam-me as cores dessa imagem de palavras mudas! de quem é?
bjs musqueteira

Abssinto disse...

Tudo...

bj

Menina_marota disse...

Gostei deste dialecto...

Um abraço e feliz Domingo ;)

Arion disse...

Hmmmmm.... ;) Beijo!

Frioleiras disse...

De quem é a "arte pictórica" ?
pq as plavras são tuas...


bj

F

Frioleiras disse...

Vejam !
E é para votarem !

http://www.saatchi-gallery.co.uk/showdown/index.php?showpic=17980

isabel victor disse...

Um BEIJO *

assim
simplesmente ____________________

*
da isabel

A.S. disse...

Quando a palavra nos toca pode acender-se um novo lume, gotejando da lingua que aponta...


Um terno beijo!

Alexandre disse...

Tú tienes lo que busco, lo que deseo, lo que amo,
tú lo tienes.
El puño de mi corazón está golpeando, llamando.
Te agradezco a los cuentos,
doy gracias a tu madre y a tu padre,
y a la muerte que no te ha visto.
Te agradezco al aire.
Eres esbelta como el trigo,
frágil como la línea de tu cuerpo.
Nunca he amado a una mujer delgada
pero tú has enamorado mis manos,
ataste mi deseo,
cogiste mis ojos como dos peces.
Por eso estoy a tu puerta, esperando.

Jaime Sabines

lampâda mervelha disse...

Gostava...

|por vezes|

que a minha complexidade nas palavras fosse condensada...