domingo, junho 10, 2007



Nada garante que tu
existas.
Não acredito que tu existas.
Só necessito que tu
existas.



David Mourão-Ferreira
____________________________

16 comentários:

Lis disse...

Muito bonito...

Varanda disse...

para mim sabe-me melhor assim talvez porque, tal como o lobo, sou um animal noturno. Assim consigo pousar a minha vista mais tempo e usufruir um pouco mais.



Beijo

Ana Paula disse...

Mais uma referência magnífica, a de um grande e intenso poeta...do amor (David Mourão-Ferreira)!

Sobre o post abaixo: esqueci-me de comentar os apontamentos do Bataille. Aquilo é que era escrever, hein?!

Mas importante mesmo é dar-te os parabéns por esta tua brilhante composição! Ficou mesmo muito gira! Gostei imenso. Uma óptima ideia, de artista!
Bjs :)

A. disse...

eu sei...









(...eu sei, não digas, deixa-me inventar-te... numa outra maneira de habitares em todas as palavras do meu canto. )







[...tenho um choro a querer passar.]perdão e ...és assim.
linda.minha.B.onita.

S. disse...

Muito bonito...

eu gosto de acreditar....

Bj

hfm disse...

Belo!

ZIPPO disse...

A gente inventa, inventa e depois... leva na... cara!
o meu problema é ter muito mais dificuldade em desinventar os meus «tus» do que em inventá-los. Tenho de começar a construir os meus «tus» com um material mais perecível do que a imaginação; na próxima, vou tentar usar a realidade, nua e crua...

PRADA disse...

Muito, mesmo muito Interessante!!! :))

St. J. disse...

Que sorte poder ler, ver e ouvir estas coisas lindas.


Que magnífica B.andida tu és!!


Nunca pares..

Abrações,
J.

blue disse...

grande verdade!

intruso disse...

muito B.onito


nada garante...



beijo

teresamaremar disse...

Um beijo

manhã disse...

se do resto se tem dúvidas disso não há qualquer dúvida e portanto o que vale uma certeza? Muito certamente.

marina disse...

Muito interessante esta sequência de imagens.
Gostei muito.
Obrigada

Gi disse...

Gostei destes bocadinhos de ti. Real ou inventada, existes.

Um beijo

Clara Hall disse...

Recortes e fragmentos, sensos e sensibilidades. Sumptuosa a escolha combinada Yo-Yo Ma-Bobby McFerrin-Vivaldi-David para guias de todas as viagens pelas sedas que os tempos tecem.

Belíssimo B.

:)