quinta-feira, julho 12, 2007



entre o tudo e o nada
não há coisa nenhuma

o dedo aperta o passo

a ponta aperta o medo

o sonho aperta o sexo.

e o surto de genialidade
desfaz retratos

de lobos

ao amanhecer

talvez





____________________________

24 comentários:

Arion disse...

E lobos somos todos... ;)

hfm disse...

talvez... num outro tempo.

Lis disse...

Essa Janis...:-) outras loucuras...
E de volta a palavra «surto de genialidade». Isso pega-se?
gostei de te ler.

Naeno disse...

pra ti já nesta manhã, chata

Triste pássaro
Vi em teu olhar
Na hora do Adeus
Enquanto o táxi
Singra nas ruas da cidade
Eu mergulho na visão de antigos casarões
Triste andorinha
Vi em tua face
Da hora do adeus
Enquanto o táxi
Fere a noite da cidade
Busco teu riso em solitárias canções

Esta canção não diz da minha dor
Nem da medida da minha solidão
Era pra ser uma canção de amor
Ficou somente uma triste canção
Senti-me então um pássaro sem asa
Eu não sou mais um pássro voador
Enquanto o táxi deixava a nossa casa
Em direção a solidão sem cor.

Naeno
Um beijo

M5Sol disse...

Acho que me vou deixar de lembrar que este blog existe... sei lá!!!
Porque será????

Frioleiras disse...

Janis Joplin...
Claro...
q gosto !

Um bjnh grd pelos teus parabéns... Julho é o mês + import. d minha vida.... Em Julho tive os maiores desgostos e tb é o mês d aniversários d Pessoas d minha Vida (Amigos + Familiares)...
Um bj. ptt
F.

intruso disse...

(já vi
já fui
já ouvi
não sei bem que comentar...


o tudo e o nada como mesma coisa


talvez...



beijo


p.s.
maravilhoso este summertime...

Teresa Duraes disse...

(adoro jj)

entre o tudo e o nada, que são exactamente o mesmo, como todos os opostos, há coisa nenhuma, ou tudo.

just my opinion

boa noite

isabel victor disse...

Tanta gente no mundo

Tantas almas lançadas a esmo

Tantos deuses secretos

Tantos deuses únicos

Tanta unicidade pluralística

Tanto de tudo

Tudo de tanto...

_______________
Poema de Érica Alcantara

_______
Bj* i (dia 20, sim ... combinamos ?)

C. disse...

Um poema axioma. Palavras de guardar na memória e depois citar:

- Tenho uma amiga muito querida, uma grande Bandida, que costuma dizer, entre o tudo e o nada não há coisa nenhuma ....


Já te tinha dito que tenho paixão por este Summertime?! Pois é!!! Tenho mesmo!!!!

:))

Letras de Babel disse...

(há posts difíceis de comentar.)

ouço a janis, paro, repito. sinto-me ainda . mas agora mais sufocante.

passo ao poema:
entre o tudo e o nada
não há coisa nenhuma


cool, penso eu, concordo, nada a acrescentar, vou só dar um beijo e dormir, que os últimos 10 ou 11 dias não foram pera doce... mas pronto, tinha de vir mais desassossego.


a ponta aperta o medo
o sonho aperta o sexo


(tão certo como cada verso ter o mesmo nº de letras...)

(talvez?)


(talvez não esteja fora de questão tudo ser um equívoco. e eu sabê-lo.)


______________

um surto de beijos

Letras de Babel disse...

tanto post atrasado por comentar!

depois vou tentar passar nalguns deles. mais não seja para marcar presença e fazer número. até posso desdobrar o sorriso em 3 ou 4 comentários.
e isto é para quem merece...

:)

Letras de Babel disse...

faltou o beijo de boa noite.

Frioleiras disse...

Querida Bandida...
Talvez apareça a 25, no Vává ,
para vos sentir...
Não sei se poderei
mas
o
Paulo Portas ... não tenho lá grande pachorra...

Um grd bj

F.

Mel de Carvalho disse...

Querida Bandida,

entre o tudo e o nada ... exitem palavras que não sei dizer, que não sei escrever

____________sentimentos
________loucuras
_____devaneios

entre o tudo e o nada
________a poeira da estrada!!!

hj deixo-te beijos, um abraço, bom fim de semana

Mel
www.noitedemel.blogs.sapo.pt

canela disse...

Qual tudo.Qual nada.o que são.para quem.onde.quando.como.entre o tudo e o nada estamos todos.
beijo*** com tudo e com nada.mas teu porque é para ti.

Anonyma disse...

"entre o tudo e o nada
não há coisa nenhuma"
...ou talvez existam tanta outras coisas que apenas eu não consigo ver...
Curiosa escolha...aperta...
Mas nem todos somos lobos.
Alguns apenas parecem...

Ana Paula disse...

Janis Joplin! Sim, sim, com ela foi sempre o tudo ou nada, nada de meios termos. Até às últimas consequências! Uma imprescindível viagem ao passado com esta música tão única!
Um beijinho para a Bandida que nos traz coisas assim à lembrança!
Thank's a lot! :)

Gi disse...

Entre o tudo e o nada
existe a vida.
Dificil mesmo é apurar
onde é que ela começa .
No tudo? Seguindo-se o declínio? Ou no Nada e respectiva aprendizagem para chegarmos ao Tudo preparados? na volta é mesmo coisa nenhuma ...

Noite feliz. Cheia de "Tudo".

art&tal disse...

...

lá a vou encontrando.

john cage...

o silencio é d'ouro.

muito interessante o seu blog

agradeço a visita

A. disse...

...deixar [ir]
flu__________indo...









deixar[ir]
ali.onde expira.ao meio.dia.

deixa[ir], B.
e agora...aqui.por perto.eu.



_______________________________...

C Valente disse...

Sei que passei por aqui, e que vou voltar
saudações

Claudia Sousa Dias disse...

Adorei!


CSD

António Pires disse...

Bandida:

Continuo a não saber comentar a tua poesia... Mas isso é bom, principalmente quando se gosta, muito!, da música (e do silêncio) que a envolve...

Beijo B.

A.