quarta-feira, setembro 19, 2007










o rio desce entre os dedos
e atravessa a margem

num crescendo envolvente

um barqueiro a contar segredos

não custa nada
é a entrada do bosque



.




.

30 comentários:

Gi disse...

Este é um dos meus destinos de eleição. Quero deixar escorrer os dias com essa mesma tranquilidade que as águas do rio.

Beijos

Xana disse...

Nadam-me peixes no sangue e oscilam entre duas
águas como os apelos imprecisos da memória.
Sinto a força dos braços e a vara que os prolonga.
Ao fundo do rio e de mim, desce como um lento e
firme pulsar do coração.
Agora o céu está mais perto e mudou de cor.
É todo ele verde e sonoro porque de ramo em ramo
acorda o canto das aves.

Obrigada pela visita, B

Quem sabe em 2008 te felicito 2 anos de presença... ;)

Beijo

ContorNUS disse...

Agora senti reviver...como um elixir...as tonalidades e sensações exóticas vindas do oriente

Obrigada pela partilha ;)

merdinhas disse...

Vibrações.


"num crescendo envlvente"

isabel victor disse...

Que imagens bonitas ...

e a música.

Uma envolvência especial que aqui criaste. Excelente realização bloguista !

b*

A. disse...

... paz.




_____________________________...

teresamaremar disse...

Deusas. Musas, ninfas e outras que tais. E as gentes, que não têm pés de barro.


beijo

intruso disse...

não custa,,,
é só entrar, querer ficar...


beijo


...



p.s.
lembrei-me da primeira vez que entrei em templo budista...
.................................

take.it.isa disse...

o inconsciente colectivo

bb

Teresa Durães disse...

lembro-me sempre de uma história que li algures (a propósito de rio e budistas)

'posso atravessar o rio sobre a água através da meditação
- porque hás-de fazer? cansas-te e tiras o trabalho ao barqueiro'

(dou logo uma gargalhada e lembro-me de uns quantos exibicionistas)

é tarde,não me lembro do nome que se dá a este tipo de música para se atingir o estado de meditação.

gostei imenso das palavras/imagens/música
beijo

maria disse...

acontece, rios entre os dedos, sim

Frioleiras disse...

Meninos/as

Não vos tenho comentado porque...

na passada 6a feira, depois de um alegre e despreocupado jantar com 7 amigos (o 7 , a magia , ou não , do 7 ! Neste caso não...),
no Luca (muito na "berra", ali para Sta Marta), não sei se por desequilibrio dos saltos, se por ter bebido alegremente flutes com vinho tinto, se pela calçada , se por quebra de tensão... caí desamparadamente.

Resumindo fui parar a S. José e depois (surrealisticamente, aos tombos...) transferida para S Fran. Xavier.

Em suma: cabeça partida e dizem !!! que tenho uma fissura no sacro! ... deitada ou em pé ! terei de ....estar !

Portanto, o vicío bloguista só me tem permitido "postar" e não ir comentar aos outros blogues !

Ontem fiz um tac que diz que , afinal não tenho nada "fissurado" !!!
Amanhã irei a um ortopedista particular para saber quem tem razão!
Façam pensamento positivo por mim porque se a verdade é ter o sacro fissurado... terei de estar um mês deitada ou em pé.
Se , tal como o tac diz, não tiver nada fissurado, voltarei à minha querida vida ocupada, de sempre.

A vida , a saúde são sempre imprevisíveis.

Cada vez mais acho que o que conta é o presente... estava divinamente bem com 7 dos meus melhores amigos , num jantar que me tinha sabido a deuses e eis que... caio na tristeza e míseria da incapacidade e nos hospitais civis ... tão desumanos!

Às nossas dores acumulam-se a dos outros ! A solidão, a doença, a tristeza que observei ....

Mas, atenção, no Hospital de S José, médicos e ennfermeiros, são mil vezes melhores na paciência e humanidade do que certos hospitais particulares !

Uma coisa é certa:
Mais do que intrevir com frases/opiniões etc etc políticas, cada um de nós deveria, uma ou duas horas/semana "DAR" ajuda, voluntária , aos outros...

Vi tanta miséria humana (solidão) naquela noite no S. José que acho que ser voluntário/a nos hospitais civis poderá "ajudar" humanamente muita gente que precisa, também duma palavra amiga...

Tenho saudades, para além da minha fútil vida, de.... "blogar" convosco !!!!

Bj

Frioleiras

Anónimo disse...

Olha, tu não me aborreças!

Frioleiras disse...

intervir...

triliti star disse...

conseguiste transportar-me para lá...

jorge vicente disse...

mas também podia ser o ganges
e o taj mahal
e um ashram que pudesse envolver as nossas partículas

invisíveis
mas feitas de terra

um abraço
jorge

as velas ardem ate ao fim disse...

Recebi boas vibraçoes deste post!Sinceramente senti paz.

bjinhos

saudosista do futuro disse...

é assim em tudo.

é só entrar.



__________________________

e eu entro e continuo
a gostar do que vejo.

hfm disse...

pode ser qualquer entrada desde que um barqueiro conte segredos.

rigoletto disse...

Parabéns.

Excelente post.

herético disse...

tão belas que são. as "geografias" do teu poema...

manhã disse...

de repente, e contra a maré, uma paz, surpreendente!

Letras de Babel disse...

lembro-me de quando tinha fascinação pelo oriente. que já não tenho.

mas transportaste-me. revivi ideais. senti qualquer coisa - inusitadamente, hoje.
lembrei-me de mim?



beijos, B.

Frioleiras disse...

bandida, afinal não estou fissurada. Para comemorar goataria de ir a um dos vossos convívios no vá vá se estiver disponível nessa data. Quando é o próximo?
Beijos.

Frioleiras disse...

Olá, olá, olá !

Afinal, parece que não fiz fissura no sacro.... "tive" de ir a um ortopedista particular que, depois de eu ter feito um tac,concluiu q afinal o q parecia fissura era qlq coisa de congénito ...

Resumindo: Embora extremamente dorida e com pontos na cabeça... penso na próxima 2a feira retomar as minhas actividades habituais !

POR ISSO, DIA 26/VÁVÁ... É AINDA MUITO PRÓXIMO...

As angústias por que passei, a visão da solidão e da imobilidade , aliado ao que vi nos 2 hospitais por onde me internaram/transferiram ... doi-me imenso...
doeu-me fisica e espiritualmente...

Estamos inseridos numa sociedade atroz ... cada vez mais atroz, e egoista e nós próprios , confrontados com a precaridade da nossa existência... mais egoistas e afundados no dia a dia, sem olharmos à volta nem ter projectos sociais ou solidários para com os outros...

anyway,

voltei ao dia a dia, com a boca mais amarga e sentindo-me que me escondo, sempre,
sempre,
nas futilidades que escolhi...

Bjs

Frioleiras

blue disse...

terras de águas férteis.

D. MARIA E O COELHINHO disse...

Se pudesse viajar para aqui, iria, far-me-ia bem.


D. Maria

Narizinha disse...

Ai a Ásia... a Ásia...
:o)

Anónimo disse...

Fechei os olhos,
curvei-me perante a alma desse rio...
bebi da sua água.
Crescente fértil de magia,
paraíso térreo,
musicado.
rezei,
invoquei. Tarde mística.
Viagem sem regresso,
desde a Taprobana...
até ao actual Sri LanKa.
Obrigada.

Cris.....:)

Luís Galego disse...

será que não custa nada entrar? não tenho a certeza, a curiosidade ficou...