terça-feira, novembro 06, 2007











nós somos o absoluto.

conta-me um segredo.



agora.

!







17 comentários:

Anónimo disse...

vi que foste «lá». Hope you got the message...

jorge vicente disse...

um segredo.
o que escreves.
e imaginas.

beijo
jorge

Anónimo disse...

Querida B...:)

Não a sabia tão "viajada"... mas fica-lhe bem....


A despropósito...há "lugares" impróprios para alguém com tão bom gosto plástico.

Deixo-lhe aquele abraço.


P.R.

Anónimo disse...

E este post é para ser "consumido" mesmo em segredo.



Só almas em silêncio.


P.R.

Haddock disse...

por haver um "nós" confia-se um segredo? um por se confiar um segredo passa a haver um "nós"?
ou as duas coisas combinadas é que dão o absoluto?

que imensa charada... e depois olho para cima e ninguém me explica nada!!

primeiro pensei que o plural era de modéstia, depois achei que o absoluto convivia melhor com o majestático, mas depois vem o primeiro do singular...

tive de ver o filme!!
e fez-se luz!!

(e com esta pago na mesma moeda ao freguês que se segue!!)

(vídeo muito bom!)

Arion disse...

Que chêre a pêxe... ;)

intruso disse...

shiu.....

(ao ouvido)

agora.

tolilo disse...

conto-te um segredo:
(és bonita)

por onde tens andado que não foste ainda levar o Tolilo a passear nem o visitaste!

Chuac!_

Gi disse...

A vida e não vida. A fronteira, o limite. Um segredo.

Um beijo Bandida, fica bem

roque antunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Paula disse...

Este mar que nos mostras...! Lindo.
Uma convite absoluto para viajar!
Outras gentes, outros lugares, segredos a descobrir...
Fica um beijo amigo! :)

blue disse...

o segredo, a porta entraberta.

Anónimo disse...

segredo...
contar-te-ia mil segredos,
depois de aberto,
o meu baú.
viagens loucas...
delírios,
constatações.
ingenuidades.
momentos de êxtase.
segredos...
inquilino da nossa alma.
absolutamente absoluto.

Cris!

a. disse...

...o maior e mais pesado.






sabes. sim.


minha B. de amiga. nossa.

Vergilio Torres disse...

Não sou eu quem te fala.

Vergilio Torres disse...

É a deliciosa alegria de morrer, que desperta o desejo de abandonar este mundo. Para conhecer a fronteira da vida deito-me na cama e desarrolho frascos de licor que me evolam o seu perfume fatal... Aí vem a mulher da foice, meiga e de gestos voluptuosos! Mas no derradeiro momento aparece alguém ou alguma coisa imprevista, um criado com qualquer pretexto, uma vespa que entra pela janela…
As formas denunciam-me à alegria única e eu submeto-me à sua vontade.(Posso vir a não ter tempo para mais) É este o Eu que te fala, máscara sinónima ou corpo de vozes. Dentro de mim, anónima, em que me existo verdadeiro e nunca o saberei. Esse dentro que sou Eu assim me tem por fora, com uma forma e um nome... esse ela que é tudo, esse Eu que não sou nada. Vestido vazio. Limpo as mãos; mais não faço que obedecer.

in Pesquisas do meu outro eu

Ahh! Bandido!

Nilson Barcelli disse...

Não é segredo nenhum. Mas digo-te, mesmo assim: gosto muito do teu blogue.
As razões são óbvias. Continuarei a atravessar a tua estrada, por isso, até chegar ao começo...
Beijo.