terça-feira, janeiro 06, 2009




























avançamos o rosto no grande esquecimento. um cigarro não chega para aquecer a vertigem. dizemos.

[três dias seguidos de jejum com as orelhas tapadas e um coelho a sair da cartola]













/div>

32 comentários:

intruso disse...

...de antologia este

o ensaio sobre o poema e a colagem e a cartola... de onde saem coelhos bonitos
[sempre]

(e este mais...)



beijo

isabel mendes ferreira disse...

da cartola que é caixa de encantar saiem palavras que são cantantes pelo que dizem e pelo que omitem!



se gosto?


adoro!!!!


chega?


Pin.

de "estrondo".


até logo.

hora tardia disse...

sem cigarro na mão (por ora) digo-te Vertigem. de sons. de assimetrias. que se casam com a alma cheia de tanto.



nunca será tarde, dizemos, para o grande festim das intenções. sérias.
da poesia.

hfm disse...

No labirinto das tuas palavras retiro a cartola para que o eco possa permitir a amplificação da vertigem.

Viagei.

Um beijo.

A. disse...

surpresas. mais cedo do que esperamos... surpresas tiradas
vamos lá saber de onde.


...lembras-te do tapete da
porta dos meus vizinhos da
frente?..... Cheque Mate!!!!

valeu-me o elástico no pulso e a dor aguda a querer convencer-me que até sou arrogante e fria. resulta.



...há jejuns, vertigens,
cigarros, tapetes e tapadas
que nos fazem muito bem.

e no Presente do Conjuntivo
...vergastemos então, minha B!


são beijos
*

Tchi disse...

...e a rotina fica de fora...

Abraço d'alma.

Ana Paula disse...

Com esta música bela, bela, bela... quase consegui "um coelho a sair da cartola"! :):)

Um beijinho sem esquecimento da boa amizade, para um excelente 2009!

casa de passe disse...

"cómo duermen las gitanas?”

besos

LouLou

casa de passe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pn disse...

majestático plural...

o rosto fazendo parte da cabeça, cai com o de capitio?

mais l'oubli!...
é sempre, em derradeira instância, um processo de sanidade físico-mental.

não achamos?

3 dias?
bis placent repetita?
saia uma anáfora dos dedos prestes.
ou um bold redundante!

Graça Pires disse...

A vertigem. O esquecimento. As palavras. Sem cartola.
Um beijo.

CNS disse...

Um feliz 2009!

abraço

rosa disse...

gosto de cigarros e da vertigem.

acredito que tres dias seguidos de jejum e orelhas tapadas com ou sem coelho(?), curariam esta gripe...

coelhinho disse...

senhora d. bandida,
isso de coelho a sair da cartola é comigo?

um bi.........jinho

maria josé quintela disse...

não preciso de cigarro para sentir a vertigem.





mas diz-me: a primeira ilustração é o mapa com o trajecto desde lisboa até à centésima?
:)



abraço.

heretico disse...

sonho íntimo da marginalidade... sofisticada! rss

gostei muito.

merdinhas disse...

... as palavra que colhemos aos poucos e que, acredita, aquecem a vertigem.

Frioleiras disse...

Bom ano para ti Bandida!

Bjnh

Desabafos disse...

Gosto de "cair no esquecimento"
Não gosto de vertigens
Gosto de magia
Nao gosto de jejum
Mas gostei de passar por aqui!
Voltarei!

as velas ardem ate ao fim disse...

Da cartola deveria sair sorrisos...Muitos!

um bjo

PiresF disse...

E hoje não aquecem de forma alguma, nem as vertigens nem o corpinho que o frio está de “rachar”.

Palmas para a mensagem em fluxograma que apresentas, genial.
Que salte o coelho.

Beijinhos.

PS: Abraço ao filho. :))

AnaMar (pseudónimo) disse...

Quantas vertigens são necessárias para se esquecerem os cigarros?

Mar Arável disse...

Que merda

da cartola

nem uma coelhinha

só auto-colantes

Bjs

Lis disse...

Tenho uma novidade: blog...

Prometido é devido! E até sábado.

Lis

Anónimo disse...

A propósito da imagem do meio (3 para um fósforo - perde-se o trocadilho na tradução, mas não é isso que me interessa agora): Sabes como nasceu a superstição de que é mau acender 3 cigarros com um fósforo? A crença surgiu durante a «1ª guerra mundial». Era uma guerra de trincheiras. À noite, quando um soldado acendia o primeiro cigarro, o «inimigo» apercebia-se de que ali havia gente; ao segundo cigarro (quando acende, aumenta a chama, por momentos), punha a arma em posição, fazendo pontaria; quando o fogaréu do terceiro cigarro se via... disparava! Por isso se diz que o terceiro morre primeiro.
Segundo a minha experiência, isto não se passa só na guerra de trincheiras
:-)
of

pinky disse...

aiiiiiiiiiiii ti nã me fales de jejum!!!!!!!!!!!!!!!!!
belas fotos, essas das damas antigas. kiss kiss

Claudia Sousa Dias disse...

olá Bandida!


aproveito para desejar um feliz 2009 e tb os parabéns com alguns dias de atraso!!!

um beijinho


CSD

isabel victor disse...

Re.cito AnaMar _____Quantas vertigens são necessárias para se esquecerem os cigarros?

________ Quantas, quantas ...



B ?


iv*

blue disse...

:)

Haddock disse...

não há como estarmos tapados de gripe até às orelhas para gelar na vertigem de três dias e tal de jejum nicotinal!!! ahhh, mas não esquecemos o vício...
é só passar este sensualíssimo catarro e nem deixamos apagar o fósforo para o cigarro que se segue!!


aii, como estamos atrasados, diz o coelho!!

ângela marques disse...

Li algures (peço desculpa de ter esquecido onde), há algum tempo, um excerto da Apoplexia da Ideia e gostei. Fiquei com vontade de ler mais e aprazei uma vinda aqui. Também gostei.
Precisava de aprender a fazer sair coelhos da cartola:).

Obrigada.

ângela marques disse...

ah... eu sou aquela desfocada, em pé, ao fundo. Prazer;)