domingo, maio 03, 2009




um dia acredito que estás à espera de algum silêncio escavado no limite do teu nome e não te digo. na paragem do autocarro finjo-me morta. e espero-te no trajecto onde a travessa é mais memória. um dia a boca há-de rasgar na marginal a travessa da tua rua. a tua marginal travessa. a tua rua marginal. a tua travessa quadrada onde o chuveiro tem peixes azuis com asas de chaminé. um dia acredito que estás à espera da noite para me rasgar nos olhos um incêndio de viagens. um dia como-te.




39 comentários:

O'Sanji disse...

Sem palavras... Liiindo!
Beijo

Victor Oliveira Mateus disse...

gostei muito...um autêntico "incêncio de viagens"...
Beijo

PiresF disse...

Nada como um texto que faz jus ao nome. O de bandida/loba, claro.

Bora lá às cervejas.

Aquele, forte, forte, abraço.

observatory disse...

um dia...


é dia.


bjº

Vulgar disse...

...marginal...
bjs

Guinevere disse...

... um dia... sim, um dia em breve... esqueço-me finalmente de ti... perdida malginalmente mesmo no meio da tua rua tão tristemente banal.

hfm disse...

são estes teus textos poéticos que vêm de dentro, duma interioridade de uma profunda riqueza que eu mais gosto. Em sintonia.

firmina12 disse...

fica feio dizer só isto? extremamente bonito

intruso disse...

...um incêndio de viagens

(numa paragem de autocarro)
[parado]

{tic-tac, tic-tac, tic-...}


bj

hn em maputo disse...

como-te..... até que as nossas entranhas naufraguem de exaustão.
sempre tu, sempre soberbo.

maria josé quintela disse...

oh................!








bem... depois de tanta marginalidade acho que é merecido. o repasto.



um beijo querida bandida.

A. disse...

...



uma questão de timing







(Bernardo.sempre Bernardo)

são beijos

Graça Pires disse...

Um dia acredito que as palavras se incendeiam umas às outras nas mãos de quem as escreve...
Um beijo.

cassamia disse...

minha nossa.......sem fôlego....

isabel mendes ferreira disse...

esplendor. Pin.




mesmo.



mesmo.


mesmo.



beijo.

Tchi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
heretico disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
heretico disse...

prisioneiro na rede das tuas palavras...

... um dia incêndio.

beijo

maria josé quintela disse...

volto. refeita da apoplexia que me deu a primeira leitura.


para te dizer que este texto é um estouro!



beijo.

Mar Arável disse...

Quentes e boas

as tuas palavras

Bjs

Haddock disse...

ahhhh, a poesia do (verbo) comer...
e a psicologia também: reflexo pavloviano em obsequiosa (e generosa) expressão esmolar!!
e então em antropofágica conjugação pronominal... ui, uide(!!): é fruto proibido... "delicatessen"!!

pois, que também nós degustámos este
prato (travessa?) do dia (em porvir).

[apenas lamentamos a ausência de vinho (que não seja metáfora de sangue!!)].

haute poésie!!


e

bon appétit (marginal)!!

alice disse...

:) só se for já! (é o que apetece responder a este texto fabuloso!). beijinhos, maria.

Ana Paula disse...

Lindíssimo, forte e antropofágico! :))

Um beijinho grande para ti, poeta de uma prosa singular!

Inca disse...

Um dia
Vi-te apressado
A atravessar
Aquela estrada
Lentamente

Curiosamente
A mesma
Que há uns tempos
Esperou por mim
Esperando por alguém

Nessa noite
Em que nem sabia que vinhas
Vim-me
Pois sabia
Que o saber não adianta

Sem sabor
Eternamente dado
Eternamente sentido
Na encruzilhada
Daquela esquina - Recta!

vasco disse...

Quando? Quando???? ;) Beijo!

Frioleiras disse...

o último grande amor da minha Vida........ morava na Travessa da Memória e..............

belas as memórias da cúpula da Igreja,

dourada sob os candieiros, mesmo debaixo da pequena sacada.......

lindo... o bairro da ajuda....
linda a casa quadrada que eu recordo (agora quase a ser derrubada...) numa esquina , a da calçada............

belas as noites Vividas perto......

Anónimo disse...

menudas tetas...

pinky disse...

don´t hesitate, ever! ;)

AnaMar (pseudónimo) disse...

Um dia (hoje) morrei e renasci.

as velas ardem ate ao fim disse...

vem,
vem aos meus sonhos,
ilumina o meu domingo de cinzas, o meu
domingo de ramos, o meu calvário,
diz que estás aqui...[a dança dos erros]

um bjo

entremares disse...

Quem se atreve a comer este capuchinho vermelho ?
Não... não...
Já não há lobos como antigamente...

Intruso disse...

não é preciso complicar tanto no início para depois acabar tão bem o texto.

observatory disse...

eu lá continuoa acreditar no que dizes :)

so te falta perguntar onde se compra tabaco aguas das pedras e se eu tenho um jazigo de familia :)


andas perto :)


sabes quem me perguntou isso?

MRF disse...

lembras-me incêndios. poema febril. muito bom. rasga mais.

Frioleiras disse...

ontem... tive uma Festa a que não tencionava ir por ter outra em simultâneo para a qual estava comprometida na organização.

Nun dia ém que me calhou uma mágoa inopinada..... resolvi ir às duas... para agirem como penso, como paleativo...

Calhou levar como presente, à 2a. Festa, à do aniversário do meu amigo JM a tua Apoplexia.... que eu tinha comprado autografada por ti....

Hoje, passei uma tarde em que o cinzento se afogou completamente nos rosas, azuis e encarnadados com que me embrulhei na Feira do Livro............. Continua a ser uma festa!

Um gáudio enorme e dulcíssimo ver gente , muita gente nova comprar, comprar muitos livros e senti a "gula" saborosa do facto..........
Uma Festa esta Feira do Livro em que fui acompanhada de 4 das pessaos que mais gosto no mundo. Uma Festa !

Unico senão:

inconcebível não ter conseguido encontrar A Aploplexia da Ideia....... Os meus jovens amigos iam todos entusiasmados com a minha propaganda sobre o teu livro e......... não o encontrei!!!

Na Bertrand disseram-me que estavam na Feira não como livreiros mas em representação das editoras. Efectivamente a Papiro não se encontrava por lá........

Uma pena Bandida! Tens de refilar!

um bj amigo

Fri

isabel victor disse...

um dia ...


de uivos


(fantástico !)





b*


iv

Martim Bernardo disse...

hoje é festa lá no meu apê
pode aparecer, vai rolar bundalêlê
hoje é festa lá no meu apê
tem birita até o amanhecer

chegaí, pode entrar
quem tá aqui tá em casa
chegaí, pode entrar
quem tá aqui tá em casa

olá, prazer
a noite hum... é nossa
garçom, por favor venha aqui
e sirva bem a visita

tá bom, tá é bom
aqui ninguém fica só
entra aí e toma um drink
porque a noite é uma criança

hoje é festa lá no meu apê
pode aparecer, vai rolar bundalêlê
hoje é festa lá no meu apê
tem birita até o amanhecer

hoje é festa lá no meu apê
pode aparecer, vai rolar bundalele
hoje é festa lá no meu apê
tem birita até o amanhecer

tesão
sedução
libido
no ar
no meu quarto tem gente até fazendo orgia

tá bom, ta é bom
tudo é festa!
pegação
vou zuar o mulheril
e a chapa vai esquentar

hoje é festa lá no meu apê
pode aparecer, vai rolar bundalêlê
hoje é festa lá no meu apê
tem birita até o amanhecer

chegaí, pode entrar
quem tá aqui tá em casa
chegaí, pode entrar
quem tá aqui tá em casa.

PAULO MIRANDA (A Folha) disse...

Um dia o mundo de dois
Entorpece e asfixia
Um dia o mundo de dois
É um dia...

anareis disse...

Estou fazendo uma campanha de doações para meu projeto da minibiblioteca comunitária e outras atividades para crianças e adolescentes da minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,preciso da ajuda de todas as pessoas de bom coração,pode doar de 5,00 a 20,00. Doações no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3 Que DEUS abençõe todos nos. Meu e-mail asilvareis10@gmail.com