quarta-feira, novembro 21, 2007










Pegue um jornal.
Pegue a tesoura.
Escolha no jornal um artigo do tamanho que você deseja dar ao seu poema.
Recorte o artigo.
Recorte em seguida com atenção algumas palavras que formam esse artigo e meta-as num saco.
Agite suavemente.
Tire em seguida cada pedaço um após o outro.
Copie conscienciosamente na ordem em que elas são tiradas do saco.
O poema se parecerá com você.
E ei-lo um escritor infinitamente original e de uma sensibilidade graciosa, ainda que incompreendido do público.



Tristan Tzara

5 comentários:

Anónimo disse...

já tenho duas. enormes.

Tesouras.
Pimba. Já tá.

Escritores? Onde? cadé? Os que conheço tão mortos. Mortinhos de Silva e Menezes!

Isto deve ser um post (vivo) para Intelectuais. E eu mal fui à escolinha.
Pdrontos.

aH mas gosti munto.

P.R.
a desejar-Vos um bom dia minha Senhora.

hfm disse...

Quando o surrealismo contava histórias.

isabel victor disse...

Mistura explosiva!

Agite suavemente ...

B*

blue disse...

belo post, bandida.

Haddock disse...

bem, isto anda a uma velocidade postal...!!!!
excelente selecção de man ray, bandida! lindo!!

e finalmente alguém a explicar-nos como se escreve poesia (dadaísta?)!!

eternamente gratos, pois sabeis de nossas dificuldades...